06/11/2011


Calcule como um homem, mas invista como uma mulher

Suponha que você esteja devendo ao seu cartão de crédito R$ 1 mil e que a taxa de juro seja de 20% ao ano. Se você não fizer nenhum pagamento, quanto tempo levará para que sua dívida dobre de tamanho?

a)      Dois anos

b)      Menos de cinco anos

c)       Cinco a 10 anos

d)      Mais de 10 anos

e)      Prefiro não responder

 

 

Este teste foi aplicado a homens e mulheres nos Estados Unidos. A resposta certa é a letra b. Na pesquisa 46% dos homens responderam corretamente e apenas 26% das mulheres acertaram a resposta.

Segundo a professora Annamaria Lusardi, uma das autoras do estudo (http://www.theglobeandmail.com/globe-investor/personal-finance/invest-like-a-man-or-a-woman/article1800536/ ) este é um exemplo do que vários estudos têm mostrado, as mulheres têm um conhecimento financeiro menor do que os homens.

Esta é uma informação relevante, dado que as mulheres precisarão ter um colchão financeiro maior para a maturidade (ver post neste blog).  Os estudiosos dizem que na educação doméstica, as meninas ficam longe da educação financeira quando se trata de mercado financeiro, investimentos, ações etc.

As mulheres se envolvem mais com a economia doméstica, pagar contas, orçamento, compras para a casa, os filhos, enfim, elas estão preocupadas em atender as demandas da família e não se sentem atraídas pelo mundo financeiro.  Já os homens adoram a adrenalina financeira.

No entanto, veja que interessante: as mulheres se saem melhor na gestão de uma carteira de ações. Alguns trabalhos apontam para uma vantagem competitiva feminina nesta seara.

O mais conhecido deles é de 2001: “Boys will be boysGender, Overconfidence, and Common Stock Investment ” , dos professores Brad M. Barber e Terrance Odean, da Universidade da California.  Esses estudos mostram que os homens sofrem de um excesso de confiança e acabam cometendo muitos erros.  Esse excesso de confiança, segundo a pesquisa, faz com que os homens negociem ações 45% mais vezes do que as mulheres, gerando assim custos excessivos para suas carteiras. Segundo o mesmo estudo, as carteiras geridas por homens registram uma perda de 2,65 pontos percentuais por ano em relação ás carteiras administradas por mulheres. 

Escrito por Elas & Lucros às 23h02
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Este blog é nosso canal diário de conversa. Em 2006 nós nos conhecemos quando lançamos o livro ?Meninas normais vão ao Shopping, meninas iradas vão à Bolsa? (editora Letras & Lucros / Saraiva). Desde janeiro este contato passou a ser mensal com o lançamento da Elas & Lucros, a primeira revista de finanças pessoais para mulheres do Brasil. Agora, estaremos todos os dias.
Outros sites


Siga Elas & Lucros:




Fale Conosco
Clique aqui e envie uma mensagem para nós!